ASSINE A NEWSLETTER • Mantenha-se atualizado sobre as novidades do food service. Quero assinar

📰 ASSINE A NEWSLETTER 📰 Mantenha-se atualizado sobre as novidades do food service. Quero assinar

Como a guerra entre Rússia e Ucrânia pode afetar o preço dos alimentos no Brasil

Stêvão Limana - Jornalista graduado pela UFSM, repórter da NDTV/Record TV em Blumenau (SC) e redator SEO da Saipos.
Escrito porStêvão Limana

Jornalista graduado pela UFSM, repórter da NDTV/Record TV em Blumenau (SC) e redator SEO da Saipos.

Descubra os impactos que a guerra entre Rússia e Ucrânia pode trazer à economia brasileira

Em 2021, o acumulado da inflação brasileira fechou acima dos 10% ao ano. Já durante 2022, as previsões do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) mostram que a alta deve continuar. 

A inflação é uma velha conhecida brasileira e, é o principal balizador econômico que impacta no preço de diversos produtos básicos, utilizados para o dia a dia da população. Entretanto, mesmo com o panorama pessimista, a situação poderá piorar ainda mais.

O confronto desencadeado na última semana, no leste europeu, trará acréscimos ao preço de diversos produtos, principalmente ao trigo, matéria prima para pães, massas, bebidas e rações animais.

O Brasil importa, em média, 6,2 milhões de toneladas por ano de diversos países. Boa parte vem da Rússia ou da Ucrânia. Contudo, com a paralisação da produção e o temor pela guerra, o preço deste produto importado já registra aumento de 20%, de acordo com a Agroconsult. O reajuste será amplamente sentido na próxima previsão do IPCA para março e abril. 

Uma outra commoditie com grande consumo no Brasil é o milho. Os grãos são fundamentais para a alimentação animal e a produção de farinha. Segundo especialistas, o produto já está com cotações muito altas no mercado internacional e qualquer aumento sentido na importação poderá prejudicar ainda mais o preço das proteínas animais, por exemplo. Hoje, a Ucrânia é responsável por 16% das exportações mundiais de milho.

Fertilizantes

Como já é de conhecimento nacional, a Rússia é o maior fornecedor de fertilizantes para o Brasil. Cerca de 20% dos produtos são oriundos do país. Inclusive, no início de fevereiro o Presidente Jair Bolsonaro esteve em território russo para negociar os adubos juntamente com o Presidente Vladimir Putin. 

Os meses de fevereiro e março são o prazo exato em que agricultores fazem a compra dos fertilizantes para as safras 2022/2023. Com o aumento dos custos e a dificuldade de importação, muitos encaram com preocupação o andamento do plantio nos próximos meses.

Caso este cenário se concretize, os produtores rurais poderão ter maiores dificuldades para a colheita dos alimentos, afinal, os fertilizantes são catalisadores indispensáveis em qualquer área de produção. Com isso, os preços de itens básicos deverão disparar.

Combustíveis

Quem pensou que o preço dos combustíveis já estava ruim, está enganado! A situação poderá piorar após o barril do petróleo passar da cotação de US$ 100 na semana passada. 

De acordo com a Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom), depois do início do confronto bélico, a Petrobras começou a trabalhar com acréscimo de 16% para a gasolina e 14% para o diesel. Antes, os números eram de 6% e 8%, respectivamente.

ASSINE A SAIPOS NEWS
ASSINE A SAIPOS NEWS
Tenha acesso às principais notícias de food service, gastronomia, delivery e gestão de bares e restaruantes.
QUERO RECEBER A NEWSLETTER
Assine a nossa Newsletter