Para o que serve uma impressora de cupom fiscal?

Stêvão Limana - Jornalista graduado pela UFSM, repórter da NDTV/Record TV em Blumenau (SC) e redator SEO da Saipos.
Escrito porStêvão Limana

Jornalista graduado pela UFSM, repórter da NDTV/Record TV em Blumenau (SC) e redator SEO da Saipos.

O que é uma impressora de cupom fiscal?

A impressora de cupom fiscal é um item fundamental para a operação do seu restaurante ou delivery, sendo utilizada para emitir o cupom fiscal eletrônico (CF-e). Quando se trata desse assunto, você vai encontrar dois tipos de aparelhos: impressora fiscal térmica (ECF) e a não fiscal. 

Em geral, o cupom fiscal é usado pelas redes de comércio varejista, mas toda e qualquer empresa pode utilizar.  Além disso, é bom entender qual o tipo de CF que pode ser emitido na sua região. 

Isso porque em alguns locais, como São Paulo, você só consegue emitir o documento por meio de impressora de cupom fiscal que opera em conjunto com o SAT. 

A Saipos entende que é fundamental saber mais sobre esse equipamento. Por isso, fizemos uma seleção com as informações mais importantes e dicas de melhores marcas para utilizar.

Mas antes de continuar lendo, aproveite para baixar grátis a nossa Planilha para controle de vendas. Aperte no banner e faça o download agora!

O que preciso saber sobre o ECF?

O Emissor de Cupom Fiscal (ECF), ou impressora térmica fiscal,  é um dos aparelhos para emitir o documento. 

Para usá-la, é preciso fazer uma integração com um sistema que faz a transição e coleta dos dados da compra, o Programa Aplicativo Fiscal (PAF).

Além disso, o uso desta impressora para cupom fiscal não necessita de nenhuma conexão com internet. 

Sendo assim, toda a transmissão das informações é feita pela SEFAZ (Secretaria da Fazenda) ou via conexão com um software de gestão que ofereça o Sintegra/Sped.

Caso você não saiba, o CF passou por algumas mudanças e apenas este modelo o clássico, é impresso pelo Emissor de Cupom Fiscal, que possui três tipos de equipamentos.  

  • Emissor de Cupom Fiscal - Máquina Registradora (ECF-MR): ECF independente, dotado de teclado e mostrador próprios;
  • Emissor de Cupom Fiscal - Impressora Fiscal (ECF-IF): ECF implementado na forma de impressora com características especiais que funcionam como periférico de um computador;
  • Emissor de Cupom Fiscal - Terminal Ponto de Venda (ECF-IF): ECF que reúne em um sistema único o equivalente a um ECF-IF e o computador que o controla.

Hoje em dia, este estilo de cupom está ultrapassado, já que precisava de um aparelho com lacre e que custava muito caro para manter. 

Nos últimos anos, foram desenvolvidas opções mais eficientes e fáceis. Confira ao longo do artigo um pouco mais sobre esta mudança. 

Como funciona a impressora do Modelo não fiscal?

A impressora de cupom fiscal não fiscal, substitui o modelo anterior, que precisava da homologação e aprovação do governo. 

Este tipo mais antigo, quase não é mais usado hoje em dia, já que tem um custo muito alto de manutenção e até aquisição. 

O estilo não fiscal pode ser usado em diferentes processo dentro do seu estabelecimento, como:

  • Impressão de senhas para filas sem riscos de repetição ou erros;
  • Emissão de tickets para estacionamentos;
  • Impressão de DAV (Documento Auxiliar de Vendas) e NFCe.

Aliás, o equipamento ainda pode ser integrado ao sistema de gestão e atendimento PDV da empresa.

Sem contar que garante agilidade, praticidade ao negócio e é capaz de cmitir NFCe ou CF-e de forma eficiente.

Qual é a melhor impressora para cupom fiscal eletrônico?  

Hoje em dia existem basicamente dois tipos de impressora para cupom fiscal eletrônico. 

A térmica não fiscal, que tem um custo de R$450 a R$ 800, e o SAT, que ainda não está disponível para todas as regiões do país. 

Neste primeiro momento, nós vamos apresentar alguns modelos de impressora não fiscal.  Lembrando que este é o modelo que emite a nota fiscal do consumidor, o antigo CF-e. 

Confira abaixo lista de modelos de aparelhos térmicos para imprimir seu cupom fiscal eletrônico:  

1. Bematech MP 100S TH 

Este é um dos modelos mais populares de impressora para cupom fiscal eletrônico e custa, em torno, de R$450. 

Ela é do tipo térmica e é um dos aparelhos mais econômicos da marca, além de prometer velocidade e eficiência no desempenho das impressões.  

A Bematech trabalha com cerca de 150 mm/s para textos, gráficos e códigos de barras. 

Além disso, possui uma serrilha metálica para cortes manuais, na parte interna, e sistema Easy Load que facilita a troca da bobina.

De acordo com a própria empresa, o aparelho consegue suportar rolos de papel com  largura de 57,9 a 82,5mm. 

Ficha técnica -  Bematech MP 100S TH 

  • Marca: Bematech
  • Modelo: MP-100S TH
  • Valor: R$450
  • Tipo de impressora: Fiscal
  • Tecnologia de impressão: Térmica
  • Tipo de impressão: Monocromática

Indicado para impressão de cupons para NFC-e e SAT CF-e.

2. Elgin i9 

A Elgin i9, assim como os outros modelos de impressora de cupom fiscal eletrônico, promete um impressão rápida. 

Conforme a marca, o aparelho é capaz de imprimir textos a 300 mm por segundo.

Além disso, pode ser usada para gerar senhas, sem precisar de carga de firmware ou instalação de componentes adicionais.

A i9 pode ser encontrada na faixa de R$500 e usa a impressão térmica direta, dispensando o uso de fita. 

O aparelho entrega qualidade para a impressão de códigos de barras ou talões e trabalha com papel entre 57,5 e 80 milímetros de largura.

Outro ponto positivo dele é a compatibilidade com os sistemas da Microsoft, desde o antigo Windows XP até o recente Windows 10.

Fora que, ele inclui MTBF (Mean Time Between Failures ou "tempo médio entre falhas", em português) de 360.000 horas e cabeça térmica com vida útil de até 150 km de impressão. 

Ficha técnica - Elgin i9 

  • Marca: Elgin
  • Modelo: I9
  • Valor:  R$500
  • Tecnologia De Impressão: Térmica Direta
  • Driver: Windows Xp / 7 / 8 - 32 E 64 Bits E Linux Sob Consulta

3. Epson TM-T20

Outra boa aquisição de impressora de cupom fiscal térmica é a Epson TM-T20, já que é conhecida pela instalação e facilidade de uso. 

E por ser um modelo com cortador automático, ela consegue durar até 1,5 milhões de cortes.

Aliás, seu ciclo médio é de 60 milhões de linhas, e o tempo médio é de aproximadamente 360.000 horas. 

Diferente das demais, este modelo de impressora de cupom fiscal tem uma velocidade inferior, de 150 mm por segundo. 

Mesmo assim, ela sai por um bom custo benefício, com valor médio de R$ 550 e em três versões: USB, Serial ou Ethernet.

Ficha técnica- Epson TM-T20  

  • Marca: Epson
  • Linha: TM T20
  • Modelo: TM-T20
  • Valor: R$ 550
  • Modelo alfanumérico: EPSON TM-T20
  • Tecnologia de impressão: Térmica
  • Tipo de impressão: Monocromática

4. Bematech MP-4200 TH

Além da MP 100S TH, Bematech tem um segundo muito popular: o MP-4200 TH, que é conhecido pela alta performance. 

A eficiência dela se deve ao seu mecanismo térmico, que suporta em torno de 200 km de impressão, enquanto a  guilhotina aguenta cerca de 2 milhões de cortes. 

Outro ponto de destaque é a velocidade de 250 mm/s, além da  agilidade para imprimir cupons e senhas.

Diferente das outras impressoras de cupom fiscal, esta tem um sistema exclusivo de modularidade, que permite a troca do mecanismo individualmente.

E também não tem necessidade de retirar o equipamento do local. Por fim, é possível encontrar o equipamento pelo valor de R$ 630.

Ficha técnica- MP-4200 TH

  • Marca: Bematech
  • Modelo: MP-4200 TH
  • Método de impressão: Térmica
  • Valor: R$ 630
  • Velocidade de impressão: 250 mm/seg para texto e para gráfico
  • Velocidade de avanço de papel: 59 lPS

Impressora SAT para cupom fiscal: O que é?

O SAT ou Sistema de Administração Tributária, é um equipamento emissor de Cupom Fiscal Eletrônico.

Criado pela SEFAZ SP, em 2008, até este momento, ele só opera no estado de São Paulo.

O objetivo dele é transmitir e autorizar, os cupons fiscais eletrônicos diretamente para a SEFAZ (Secretaria de Estado da Fazenda).

E também opera um software capaz de fazer a validação do arquivo XML antes de enviar para a Secretaria da Fazenda.

O Sistema foi criado para substituir o Emissor de Cupom Fiscal para que o comerciante tenha mais agilidade, segurança e praticidade na emissão do Cupom Fiscal.

Quanto às informações que ele recolhe, são todas gravadas e armazenadas no MFD – Memória Fita Detalhe.

Esta máquina para cupom fiscal tem um lacre física, que é vendido e instalado por empresas credenciadas. Então é bom ficar de olho nisso. 

Outro benefício, é que o SAT é considerado um dos equipamentos mais seguros para a emissão, com possibilidade muito menor de fraude. 

Quais as vantagens do SAT?

Embora não seja algo unificado em todos os estados, o SAT é um equipamento de cupom fiscal mais prática de ser usada. 

Isso se deve aos seus processos mais simples e custo benefício mais em conta. Todavia, os benefícios não param por aqui.

Confira abaixo algumas das vantagens da implementação do SAT para emitir o seu cupom fiscal

  • Facilidade para o cumprimento de obrigações pelas empresas junto ao Ministério da Fazenda;
  • Cancelamento de venda mais rápido, feito em até 30 minutos depois que a mesma ser realizada;
  • Consulta mais ágil de documentos fiscais por ser integrada ao Nota Fiscal Paulista (SAT é usado apenas em São Paulo, por o benefício com a NF Paulista);
  • Redução de erros no envio, gerando mais segurança ao processo;
  • Simplificação de processos, desenvolvendo redução custos significativa, já que os equipamentos e a manutenção são de baixo custo;
  • Diferente do ECF, o Sat Fiscal não precisa ter papel certificado, permitindo o uso de diferentes tipos de papel como opção para as empresas.

Qual a diferença entre a NFC-e e Cupom Fiscal Eletrônico?

Antes de você se preocupar com impressora, é importante entender qual a diferença entre a NFC-e e o Cupom Fiscal Eletrônico. 

Que nada mais é do que o nome, CF-e mudou de nome e agora se chama NFC-e, tendo o mesmo funcionamento do cupom eletrônico. 

Isto é, a Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica, é usada para cobrir as vendas ao consumidor final. 

Mas ela também tem uma versão impressa, que se chama Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica (DANFE NFC-e).

Normalmente, este documento fica anexado nas mercadorias vendidas ou é entregue juntamente com os serviços prestados.

Vale lembrar que todo o processo é feito pela Secretaria da Fazenda, que tem como objetivo digitalizar a emissão do cupom fiscal, garantindo agilidade com o SEFAZ.

Isso acaba beneficiando muito mais o processo de venda registrada e ainda pode ser consultado pelo cliente quando desejar. 

Todavia, para fazer a emissão da NFC-e, isto é, imprimir o cupom fiscal, você vai precisar realizar um pequeno passo a passo. Veja abaixo: 

  • Acessar à internet;
  • Credenciamento NFC-e na SEFAZ (permissão para emissão);
  • Desenvolver ou adquirir um programa emissor de NFC-e;
  • Obter o certificado digital no padrão ICP – Brasil (contendo o número do CNPJ do estabelecimento do contribuinte);
  • Inscrição estadual da empresa em dia;
  • Ter o Código de Segurança do Contribuinte (CSC).

Como emitir a segunda via do Cupom Fiscal Eletrônico?  

Pode ser que em algum momento você precise da segunda via do cupom fiscal eletrônico. 

E como se trata de um documento para o consumidor, é possível ter acesso a cópia dela diretamente no estabelecimento onde a compra foi feita.

Nesta nova emissão deve conter as mesmas informações inseridas na primeira emissão, que são:

  • Marca;
  • Tipo;
  • Modelo;
  • Espécie;
  • Quantidade do produto.

Além disso, é necessário haver os dados da empresa que realizou a venda ou prestou o serviço. Sendo eles: 

  • CNPJ;
  • Endereço;
  • Telefone.

Utilize um sistema para restaurantes para gerar seus cupons fiscais

A Saipos é um sistema de gestão para restaurantes que atua em diversos módulos de venda, oferecendo benefícios em todas as etapas dos seus processos.

O software da Saipos é a tecnologia que faltava para revolucionar o seu negócio, automatizando várias tarefas do dia a dia que consomem seu tempo.

Veja alguns dos benefícios do Sistema Saipos:

  • Emissão de cupom fiscal;
  • Controle financeiro a partir da ficha técnica;
  • Controle de estoque para lançar, em tempo real, tudo o que saiu e o que entrou;
  • Integração com os principais apps de delivery;
  • Impressão de comandas;
  • Gestão de clientes por meio de relatórios com dados e preferências da base;
  • PDV personalizado, permitindo que você atualize cardápio e outras informações sempre que necessário;
  • Gestão de pedidos e controle de motoboys;
  • Diferentes módulos, para Delivery, Balcão, Mesas ou Senha;
  • Comanda eletrônica e gestão de garçons.

Um sistema de gestão para seu restaurante, com certeza, terá um papel fundamental para o crescimento do seu negócio.

Por isso, não perca tempo e descubra mais vantagens de utilizar o sistema com o melhor custo-benefício do mercado. Aperte no banner e saiba mais!