Entenda a NFC-e RJ

O que é NFC-e RJ?

Substituindo o Cupom Fiscal, a NFC-e RJ passou a ser obrigatória em 2017 em todos os estabelecimentos comerciais do Estado do Rio de Janeiro.

A Nota Fiscal ao Consumidor Eletrônica foi desenvolvida para automatizar as transações de venda.

Tornando assim, a fiscalização pela Secretaria da Fazenda mais efetiva e instantânea.

Além disso, o contribuinte emissor não precisa mais do ECF (emissor de cupom fiscal).

Isto ocorre, pois o documento pode ser consultado pelo portal da SEFAZ ou pelo QR-code, impresso no Danfe.

Ele também pode ser emitido sem que seja inserido um destinatário. Mas também é possível que o consumidor seja identificado, cadastrando seu CPF na Nota.

Esse novo procedimento traz vantagens ao contribuinte emissor, por exemplo, a redução de gastos com papel.

Quais são os benefícios da emissão da NFC-e RJ?

Esse novo procedimento traz algumas vantagens ao seu negócio, confira algumas delas abaixo:

  • Não é necessário impressora fiscal (agora a impressão do novo modelo pode ser feita em impressora comum);
  • Descomplica a vida do contribuinte;
  • Diminuição no uso de papel;
  • Redes de lojas precisam apenas da autorização de uma das lojas para fazer a emissão e não mais autorização específica para cada unidade;
  • Fiscalização em tempo real e mais segurança ao consumidor.

Fora isso, os procedimentos são mais ágeis, pois a transmissão das informações é feita de forma imediata e a incidência de erros diminuiu.

Como já foi dito, o comprador ainda consegue economizar fazendo emissão da NFC-e RJ. E também estará inovando as suas práticas de atendimento.

O que é Danfe NFC-RJ?  

O Documento Auxiliar da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica é o papel impresso, em impressora comum, e entregue no ato da compra para a clientela.

As informações dele são reduzidas e o  detalhamento pode ser consultado no site da Secretaria da Fazenda ou pelo QR-code.

Para ter acesso aos dados por meio do site, é preciso que você insira a chave de acesso, impressa no Danfe, com 44 dígitos.  

Após fazer a consulta a impressão deste é opcional. O consumidor pode apenas indicar um e-mail para que uma via da Nota possa ser enviada a ele.

NFC-e RJ SAIPOS

O que é necessário para emitir a NFC-e RJ?

Para que o contribuinte emissor possa realizar a emissão da Nota Fiscal no Estado do Rio de Janeiro, ele vai precisar dos seguintes itens:

  • Ter a Inscrição Estadual em dia;
  • Acesso a internet;
  • Computador;
  • Credenciado pela SEFAZ;
  • Certificado Digital A1;
  • Impressora Térmica, que não seja fiscal;
  • Código CSC;
  • Software emissor de NFC-e.

Além desses critérios, ao fazer o credenciamento da Secretaria da Fazenda, o comerciante necessita que o seu negócio tenha uma assinatura eletrônica.

Você consegue fazer esta assinatura em alguns órgãos privados e públicos. Esse é uma necessidade essencial para que você possa fazer emissão das Notas.

Veja alguns dos locais que fazem esta assinatura:

  • Caixa Econômica Federal;
  • Certisign;
  • Serasa Experian;
  • Docusign.

Quem emite a NFC-e RJ?

A emissão deste documento passou a ser obrigatória para quem se encaixa nos critérios do Anexo II-A à Resolução SEFAZ n° 720/14.

A legislação começar a valer a partir de janeiro de 2017. Entretanto, há algumas exceções a lei. Os Microempreendedores Individuais e produtores rurais estão livres dessa obrigação.

Os estabelecimentos que estiverem dentro dessas exigências devem ficar atentos aos processos, para que não ocorram erros.

Com a transmissão mais rápida dos dados para a Secretaria da Fazenda, o rigor na fiscalização ficou maior.

Além disso, o contribuinte emissor deve guardar o arquivo da Nota por 5 anos, para comprovar pagamento de impostos, por exemplo. Ou emitir segunda via para cliente.

Em quais operações a NFC-e RJ pode ser utilizada?

A NFC-e RJ deve ser usada no varejo, nas vendas que ocorreram diretamente ao cliente, na loja, ou em entregas que forem a domicílio.

Nas entregas delivery, com entrega de comida ou medicamentos, por exemplo, será necessária a identificação do consumidor, com o CNPJ ou CPF e o local da entrega.

Nos casos em que a NF-e seja obrigatória e não a Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica , existem algumas exceções, são elas:

  • Transações com pessoas jurídicas que não sejam contribuintes;
  • Transações feitas por Indústrias ao consumidor final;
  • Prestação de serviço ou repara, em que exista a necessidade de aquisição de peças de terceiros.

Quais são penalidade relacionadas a NFC-e RJ?

Muitos estabelecimentos acabam cometendo algumas infrações referentes ao uso deste documento.

Entretanto, há penalidades para quem as comete. Confira quais são as infrações mais comuns e suas respectivas penalidades:

Infração: não fazer a emissão do documento fiscal, emitir Cupom Fiscal, já sendo obrigado a emitir a NFC-e RJ e não transmitir a Nota Fiscal em contingência.

Penalidade: multa de 5% da operação.

Infração: cancelamento do documento fiscal após 24h.

Penalidade: multa de 3% do valor da operação.

Infração: transmitir dados incorretos da NFC-e RJ.

Penalidade: multa de 3% do valor da operação.

Infração: transmitir a Nota em contingência após 24h de sua emissão.

Penalidade: multa a partir de 100 reais, com um limite de 3 mil reais de cobrança.

Para donos de restaurantes

Se você é empreendedor paranaense do ramo gastronômico, a Saipos é o melhor sistema para restaurante do Rio de Janeiro

Temos sistema fiscal, onde é possível fazer a impressão de cupom fiscal diretamente pelo software, além de registrar as notas fiscais, para que você possa encaminhar ao seu contador. 

Somos um Sistema completo, que facilita sua rotina, automatizando sua operação e sua gestão, com ferramentas como monitor na cozinha, cardápio digital, comanda mobile, controle de estoque e financeiro. 

Baixe o E-book Como tornar meu restaurante mais eficiente