Como começar a vida do empreendedorismo na gastronomia

Stêvão Limana - Jornalista graduado pela UFSM, repórter da NDTV/Record TV em Blumenau (SC) e redator SEO da Saipos.
Escrito porStêvão Limana

Jornalista graduado pela UFSM, repórter da NDTV/Record TV em Blumenau (SC) e redator SEO da Saipos.

O empreendedorismo na gastronomia foi uma das grandes apostas de investidores durante os últimos anos. Com a internet e os aplicativos de pedidos, grande parte da população criou o hábito de pedir almoço, lanche ou jantar por delivery. 

O sucesso é grande e os números são refletidos na quatidade de novos estabelecimentos de comida abertos.

Entender qual é o contexto econômico e o formato de negócio a ser apostado são as principais vantagens na hora de fazer a gestão de restaurante

Pensando nisso, preparamos um artigo completo com as principais dicas e curiosidades da vida de empreendedorismo na gastronomia.

Antes, aproveite e faça o download gratuitamente do e-book “11 dicas para melhorar o atendimento do seu restaurante” e aprenda a deixar os clientes satisfeitos com o seu serviço. É só apertar no banner abaixo! 

Vale a pena empreender na gastronomia?

Objetivamente falando, vale muito a pena ter algum tipo de empreendedorismo na gastronomia. Entretanto, na hora de abrir um restaurante é necessário escolher com exatidão o tipo de culinária e a modalidade de negócio em que você deseja investir.

Além disso, um empreendedor também precisa levar em consideração todos os desafios de como administrar um restaurante e lidar com a alta carga de impostos.

Segundo os dados levantados pelo IBGE, desde 2008 os brasileiros estão mudando os próprios hábitos alimentares. 

Muitas famílias adquiriram o hábito de comer fora ou de consumir produtos prontos. Um dos motivos desse aumento está muito ligado à rotina intensa da população, principalmente em grandes centros urbanos. 

Portanto, quem abriu um empreendimento gastronômico nos últimos 10 anos “surfou” nessa onda maior de consumo. Inclusive, a abertura de bares e restaurantes em todo o país foi um elemento de propulsão da economia.  

Contudo, em cada época existe um contexto diferente para o empreendedorismo na gastronomia, assim como durante a pandemia da Covid-19.

Empreendedorismo na gastronomia e o Coronavírus

Empreender no segmento culinário durante os meses de isolamento social e lockdown foi uma ação que trouxe sustento para muitas famílias.

Seja pela escalada do desemprego ou por conta da proibição de bares e restaurantes receberem público, a população decidiu apostar na venda de comida por delivery.

Dados disponibilizados pela Mobills mostram que os gastos nos aplicativos Rappi, iFood e Uber Eats cresceram 149% no ano de 2020. 

Portanto, quem conseguiu aproveitar esse  “boom” mencionado acima, pôde ter uma ótima experiência de empreendedorismo na gastronomia.

Porém, com o avanço da vacinação e a pandemia dando indícios de estar perto do fim, o cenário já é diferente. Há uma sensação entre os empresários de que o mercado está saturado para alguns tipos de culinária, principalmente: hamburguerias e marmitarias

Então, se você deseja abrir um novo negócio nesse segmento, precisará de bastante empenho para entender como atender consumidor exigente.

Prós e contras do empreendedorismo na gastronomia

O ato de empreender virou um sinônimo de sucesso durante os últimos anos no Brasil. Contudo, ser chefe ou dono de um negócio é um fardo pesado. 

Exige muito tempo e esforço dedicado para que o estabelecimento “decole”. Para colocar isso tudo na balança, listamos três prós e contras de apostar em um empreendedorismo na gastronomia.

1. Trabalhar com que gosta x Tudo depende de você

Quando uma pessoa decide abrir um negócio, geralmente, ela escolhe uma área em que mais tem aptidão e afinidade para trabalhar.

Fazer o que se gosta é prazeroso. As motivações se renovam todos os dias, tornando-se combustível para o andamento da empresa. Quem é dono sabe que todo esforço extra será recompensado financeiramente para ele próprio e os demais funcionários. 

Porém, o ônus de trabalhar com aquilo que se ama fazer é o acúmulo de funções. Para um empreendimento na gastronomia, tudo vai depender de você.

Sejam as compras de suprimentos no mercado, manutenção de equipamentos, resolução de problemas e toda parte de como administrar um restaurante será sua responsabilidade

Com o passar do tempo, e o crescimento do negócio, será possível contratar pessoas e terceirizar esses serviços. No entanto, se você está dando os primeiros passos, essas funções estarão acumuladas. 

2. Faturamento variável x Insegurança financeira

Não existe faturamento fixo em uma empresa. Cada mês é um mês! Em alguns, o dinheiro arrecadado pode extrapolar as expectativas, já em outros, ser preocupante. 

Todo empreendimento na gastronomia vai passar por altos e baixos. A administração nunca será fácil e previsível. 

Entretanto, as possibilidades de ganhar dinheiro são inúmeras. Ao entregar um bom produto para os clientes, você estabelecerá metas para restaurante que serão atingíveis a todo momento. 

3. Flexibilidade de horários x Ansiedade por resultados

Quem é empresário tem a liberdade de “fazer o próprio horário” e a flexibilidade de encaixar outros compromissos na agenda, o que funcionários em geral não possuem.

Mas nem sempre esse benefício é utilizado por quem decide apostar no empreendedorismo na gastronomia. Como muitas coisas dependem somente da gestão do dono, há uma ansiedade constante por resultados, ações e retornos financeiros. 

Geralmente, tudo isso vem acompanhado por muito estresse, insônia e alguns transtornos emocionais, sendo necessário auxílio profissional de médicos e psicólogos.

LEIA: como ter boas práticas para gestão de um restaurante

Três empreendedores de sucesso para se inspirar

Empreendedorismo na gastronomia não é fácil, não. Mas, tem muita gente que se empenhou e construiu um grande negócio no ramo da alimentação. 

Para você se inspirar em pessoas que fazem a diferença no Brasil, separamos 3 nomes bastante conhecidos!

1. Alberto Saraiva

Alberto é fundador do Habib’s, uma das maiores franquias de fast-food de todo o Brasil. Especializada na gastronomia oriental, a rede de restaurantes faz um grande sucesso, principalmente com o público jovem.

Para conseguir chegar onde está agora, Saraiva precisou de muito empenho! Quando estava prestes a iniciar a faculdade de medicina, seu pai, que era dono de uma padaria, veio a falecer.

O estudante precisou, então, colocar a mão na massa. Aprendeu a fazer tudo, desde a massa para o pão e a como administrar o estabelecimento. 

Quando terminou os estudos, Saraiva decidiu, então, empreender, abrindo a Habib’s e fazendo um grande sucesso rapidamente, já que oferecia os produtos cerca de 30% mais baratos que a concorrência.

Hoje, a franquia está espalhada em 21 estados do Brasil com mais de 400 lojas abertas.

2. Erick Jacquin

O francês mais querido da televisão brasileira foi uma daquelas pessoas que saiu do seu país natal para arriscar tudo em uma nova terra.

Jacquin passou por altos e baixos no Brasil. Faliu um restaurante por estar atolado em dívidas, sofreu com a burocracia e alta carga tributária do Brasil e quase teve que voltar à França. 

Conhecido pelo alto nível das receitas e uma personalidade forte, Jacquin foi convidado para participar como jurado do reality show Masterchef, na Rede Bandeirantes de comunicação.

Foi aí que tudo começou a dar certo para o chef! Sua popularidade aumentou muito, fazendo ele próprio ganhar um programa semanal na TV, o Pesadelo na Cozinha.

Hoje, Jacquin é dono de diversos restaurantes, entre eles o Président que faz grande sucesso em São Paulo. 

3. Robinson Shiba

Superação é o principal lema do fundador da franquia de comida oriental, China in Box. Em 1990, ele tinha 19 anos e estava nos Estados Unidos para fazer um curso de inglês de dois meses. 

Porém, acabou perdendo tudo ao ser assaltado, e decidiu não aceitar mais dinheiro do pai, que já havia economizado por anos para ajudar nos estudos.

Nesse período, Shiba foi trabalhar em um restaurante de Chinatown, em São Francisco. Na cidade americana, viu que os restaurantes de culinária oriental serviam os pratos em caixinhas

Logo que voltou ao Brasil, decidiu fundar o primeiro delivery de comida chinesa servida nestas modalidade, o que foi um sucesso repentino! Incrível, não é?

Tenha excelência na gestão do seu restaurante com o Sistema Saipos

Acabamos de ler nos tópicos anteriores que para seu restaurante ter sucesso, e vender é necessário organização e atenção com a gestão.

Empreendedorismo na gastronomia não é tarefa fácil. Muitas vezes, administrar as contas, a equipe e a qualidade dos pratos torna-se uma rotina desgastante.

Por isso, a nossa dica para você é ter um sistema para gestão de restaurantes parceiro ao seu lado. Com a Saipos, você economiza tempo, dias trabalhados e até gastos com contabilistas e funcionários extras

Conosco, você automatiza diversas áreas do seu negócio, desde a parte financeira até o recebimento de pedidos e a organização dos motoboys.

Conheça algumas funcionalidades do nosso sistema:

  • Controle de estoque;
  • Controle financeiro;
  • Dashboard de franquias;
  • Monitor KDS;
  • Cardápio digital.
  • Comanda mobile;
  • Saipos Garçom;
  • Emissão de cupom fiscal;
  • Integração com apps delivery;
  • Central de pedidos.

Bom demais, não é? Aproveite e converse com um dos nossos consultores e veja seus resultados ampliarem ao tornar-se um parceiro da Saipos! É só apertar no banner abaixo.