Como funciona TEF na Paraíba?

Stêvão Limana - Jornalista graduado pela UFSM, repórter da NDTV/Record TV em Blumenau (SC) e redator SEO da Saipos.
Escrito porStêvão Limana

Jornalista graduado pela UFSM, repórter da NDTV/Record TV em Blumenau (SC) e redator SEO da Saipos.

O que é TEF?

O TEF (Transferência Eletrônica de Fundos) é um serviço criado para receber os pagamentos feitos via cartão de débito e crédito.

Ele é integrado a automação comercial do comércio junto do seu software e o Pinpad.

Além disso, consegue otimizar todo o processo de captura da transação, o que diminui muito os erros de lançamentos e facilita a conciliação de vendas.

Entre as suas vantagens, inclusive, está a multi-adquirência. Isso quer dizer que o TEF consegue trabalhar com várias bandeiras de cartão.

Um outro benefício dessa ferramenta é o seu processo de controle e gestão financeira, que é bem fácil de lidar.

O uso do TEF na Paraíba

Embora seja algo bem simples, nem todo mundo utiliza esse recurso. Mas, no caso da Paraíba, o TEF se tornou uma obrigatoriedade.

A Portaria nº 166, determinou, em 28 de junho de 2017, que este seria o prazo final para que o equipamento fosse adotado nos bares, lanchonetes, restaurantes e similares.

Sendo assim, desde de 1º de agosto de 2017, todos esses segmentos precisam estar utilizando o tef na Paraíba.

Desde a determinação, os estabelecimentos devem utilizar alguns equipamentos para usar o serviço. Confira:

1) Transferência Eletrônica de Fundos – TEF sem interligação com o sistema, que seria o TEF Móvel;

2) Points of Sale – POS com emissão da Nota Fiscal ao Consumidor Eletrônica – NFC-e nos próprios aparelhos;

3) TEF interligado ao sistema de automação que realiza a emissão de NFC-e (TEF tradicional).

TEF e POS

Com a alteração da portaria, que ficou como  nº 011/2017/GSER , houveram mudanças como uso do TEF e POS no locais que emitem NFC-e.

Agora, os bares, restaurantes, lanchonetes e similares que trabalham com delivery precisam operar com o TEF móvel ou POS com emissão de NFC-e.

Essa regra passou a ser obrigatória em 1º de janeiro de 2018 e garante ao proprietário mais segurança e uma gestão melhor da parte financeira.

Como é a fiscalização do TEF na Paraíba?

O TEF na Paraíba trouxe diversos benefícios para o local, principalmente para os donos de estabelecimentos.

A principal vantagem desse serviço é organização. É possível comprar isso a partir do estabelecimento que usam o POS, por exemplo.

Os optantes por essa ferramenta não conseguem fazer nenhuma integração com um sistema de gestão, o que deixa o controle de vendas muito vulnerável.

Sem contar que podem haver muitos erros e até possíveis fraudes, já que a transação via cartão precisa ser feita manualmente, o que tira muito tempo e problemas como FISCO.

Além dos motivos já citados acima, quem não utilizar o TEF pode sofrer sérias consequências, como a aplicação de multas ou apreensão das máquinas de cartão.

Quais são as vantagens de usar o TEF na Paraíba?

Todo dono de negócio sonha trabalhar com assertividade e confiança nos processos, o uso do TEF na Paraíba, e em qualquer outro lugar, garante isso.

A partir do pinpad (maquininha), a Transferência Eletrônica de Fundos agiliza a venda feita pelo cartão de crédito ou débito.  

Com o processo feito, a ferramenta entrega o que foi vendido diretamente para a automação comercial, que faz a impressão do recibo.

Apenas lembre-se que o TEF não se comunica com a impressora. Sendo assim, ele não consegue determinar o precisa ser impresso. É graças a isso que ele pode ser usado com qualquer lei vigente, independente se SAT ou tipo cupom fiscal.

Quando custa o TEF na Paraíba?

O serviço oferecido pelo TEF pode variar de R$100 a R$200, tudo depende de quantos caixas deverão ter a ferramenta.

Embora seja um pouco caro de se manter, ele consegue aceitar várias bandeiras de cartões de crédito e débito. Isso significa que você não precisar 3 máquinas diferentes para o seu restaurante ou a sua loja.

E, se o local tiver cinco delas, por exemplo, e todas forem homologadas ao TEF, será pago apenas um locação.

Como funciona o Sistema TEF na Paraíba?

A Transferência Eletrônica de Fundos faz  a leitura dos cartões usados pelos clientes para que exista a transição de dados.

Para isso, o TEF na Paraíba, e em qualquer outra parte do país, precisa estabelecer uma relação comercial com as empresas representantes do meio de pagamento.

Isso deve ser feito para o dinheiro seja passado corretamente para o local. E, para isso, é preciso procurar por alguns serviços. Veja:

  • TEF House: empresa responsável pelo desenvolvimento do sistema e que tenha contato direto com os adquirentes. Exemplo: Pay&Go (NTK).
  • Softhouse ou integradora: local responsável por integrar o sistema criado pela TEF house, dando todo auxílio e suporte ao cliente.
  • Adquirente: tem a função de verificar e efetuar as transações, também é encarregada de negociar taxas das mesmas. Ex: Cielo, Rede e Getnet.

Quais são os tipos de TEF?

Na hora de usar o TEF, você vai ver que existem algumas variações dele.

Por isso, é indicado que conheça todas elas e analise qual é a melhor para o seu tipo de negócio. Saiba quais são elas: 

Discado: Precisa ser usado quando os componentes de hardwares (computador e PinPads) estejam conectados com o sistema por meio das linhas telefônicas.

POS (Point Of Sales): Considerado um tipo específico de TEF, a principal diferença dele é não possuir nenhum tipo de integração com sistema de automação.

Isso significa que ele funciona com terminais espalhados no estabelecimento que são conectados por linhas telefônicas, Wi-Fi ou rede de telefonia móvel celular.

Eles não são indicados para locais com grande fluxo de vendas por cartão ou que necessitam de gerenciamento de vendas.

IP: Da mesma forma que o discado, o IP usa PinPads e computadores, mas é por meio de uma Rede Privada Virtual (VPN).

Desta forma, deixa o processo bem mais rápido que a comunicação da forma já citada.

Dedicado: Para utilizar o TED Dedicado é necessário uma rede privada (VPN), que facilmente fornecida pelas redes telefônicas.  

Como escolher a melhor solução TEF?

A eficiência deste serviço depende também das provedoras do TEF que devem oferecer a solução mais completa possível.

Justamente por não ter nenhum tipo de estrutura própria, algumas empresas acabam oferecendo formas compostas para a venda da ferramenta.

As ofertas são feitos por diversos fornecemos, então é muito comum que um fornecedor seja responsável  pelo aplicativo e outra pelos pinpads.

Ou seja, talvez seja necessário entrar em contato com mais de uma companhia. De toda a forma, o resultado pode não ser muito bom para o comerciantes.

Para evitar esse tipo de coisa, é bom que você saiba quais são os critérios para escolher a melhor solução TEF. Veja:

  • A existência de um Portal de Vendas Online que permita acesso em tempo real aos relatórios;
  • A facilidade de uso, o que pode economizar em treinamento para o operador de caixa;
  • A praticidade e variedade dos canais de suporte;
  • Boas referências sobre a solução em questão;
  • Dispositivos de segurança que garantam a autenticidade da instalação e atendimento;
  • O tempo de instalação e reinstalação do aplicativo de TEF.