Aprenda como calcular capital de giro

Stêvão Limana - Jornalista graduado pela UFSM, repórter da NDTV/Record TV em Blumenau (SC) e redator SEO da Saipos.
Escrito porStêvão Limana

Jornalista graduado pela UFSM, repórter da NDTV/Record TV em Blumenau (SC) e redator SEO da Saipos.

Como calcular capital de giro?

Para saber como calcular capital de giro é preciso fazer a diferença entre o Ativo Circulante e Passivo Circulante.

Desse modo, esse resultado mostra quanto a empresa possui de recursos para receber sobre o que precisa pagar, em um prazo curto.

Os prazos médios de estocagem, volume e custo de vendas, compras e pagamentos de compras, todos esses fatores exercem influência sobre o capital de giro líquido (CGL).

Por isso, a variação dessas concorrências é grande, então é recomendado que se monitore com frequência.

O monitoramento serve para que você não seja pego de surpresa e tenha resultados negativos que afetem a sua empresa.

Sendo assim, esteja ciente que o fluxo de caixa está atrelado a esses fatores.

Para ajudar no processo, a Saipos preparou uma planilha de fluxo de caixa mensal GRATUITA para você usar. Clique no banner abaixo e baixe já!

Qual a fórmula para calcular o Capital de giro?

Antes de calcular qualquer coisa, você precisa entender a diferença de capital de giro e o Capital de Giro Líquido.

Então, para que você não dependa da operação das suas vendas e dos lucros, é preciso que a sua empresa tenha uma reserva financeira.

Esse dinheiro, que permite que a ação aconteça e continue o ciclo, é o capital de giro.

O capital de giro se limita às operações da empresa, deixando de fora pontos como o saldo disponível (ativo) e os empresários (passivos).

Dessa maneira, estes entram na conta do capital de giro líquido.

Considerando todo o Capital de Giro Líquido, o empreendedor já terá o valor que precisa para cumprir com todos os seus compromissos financeiros.

Isso, é claro, levando sempre em consideração o ativo e o passivo circulante da empresa.

Fatores do Capital de Giro

O valor ideal que deve ser destinado ao capital de giro está condicionado a alguns fatores como:

  • Porte da empresa;
  • Setor em que ela atua;
  • Sazonalidade da companhia; entre outros.

Para saber o quanto deve ser destinado ao capital de giro de sua empresa, a fórmula necessária para qualquer tipo de negócio é:

CGL (Capital de Giro Líquido) = AC (Ativo Circulante) - PC (Passivo circulante)

Portanto, com os valores obtidos, será possível saber quanto deve ser destinado à reserva de recursos do seu negócio.

Para que assim a empresa tenha como cobrir os gastos com manutenção e produção, além de ter uma reserva para emergência financeiras.

Então, para que o cálculo seja feito com precisão, mantenha sempre os seus dados atualizados e organizados.

Caso você esteja começando um negócio e não entende bem quais são as funções necessárias para realizar o cálculo, o indicado é reservar um equivalente a três meses de despesas fixas.

Essas são aquelas que não dependem da venda de produtos ou de serviços para existir.

Portanto, temos entre elas: contas de água e de luz, salário de funcionários, aluguel, entre outras.

Quais as principais dúvidas sobre Capital de giro?

Se sua empresa tem um fluxo de caixa positivo e bem organizado, mas que todo o dinheiro que entra acaba saindo logo e não sobra dinheiro para o capital de giro, é preciso ter atenção.

Isso porque o capital de giro é a principal reserva financeira de um negócio.

Sendo assim, é fundamental que ele esteja resguardado, antes que alguma emergência ocorra e desestruture a sua empresa.

Procure adiantar os recebíveis, essa é sem dúvidas uma das melhores formas de conseguir o montante necessário para o seu capital.

Com isso, você não precisará esperar 30 ou 60 dias para receber o dinheiro pelas vendas que fez.

Por mais que sejam abatidas as taxa de juros descontadas pelo banco por esse serviço, estas são bem mais baixas do que as de um empréstimo.

Capital de giro e Empréstimo

Como qualquer tipo de decisão, é preciso muito planejamento ao fazer um empréstimo para a sua empresa.

Então, saiba o quanto é necessário para que você consiga quitar as dívidas. E atente a prazos, nada de se arriscar com prazos irreais.

Se você é novo no mercado, ou não se sente confortável para estudar um empréstimo, consulte um contador ou advogado para ter um bom controle financeiro.

Dessa maneira, o contador irá te ajudar a preparar a demonstração financeira, as projeções da sua empresa e os orçamentos.

Também te auxiliará a preparar os seus impostos e pode sugerir algumas oportunidades para reduzir as suas responsabilidades tributárias.

Já o advogado, pode te dar um bom suporte para entender os processos burocráticos e legais para encaminhar os melhores serviços para a sua empresa.

Empreendedor 

A assistência especializada em uma empresa é fundamental para que explique e oriente o empreendedor sobre quais são as melhores práticas para o negócio.

Nesse caso, o empresário precisa conhecer muito bem todos os processos da empresa.

Assim, ele poderá eleger com segurança a melhor decisão para o negócio.

Por mais que o advogado e o contador sejam seus parceiros e suporte, a maior responsabilidade continua sendo sua.

Nem sempre solicitar um empréstimo está associado a um problema, ou mesmo ao fracasso do seu negócio.

Muitas vezes as pessoas optam por fazer empréstimos para realizar operações ou mesmo desenvolver novos projetos para a empresa.

Quando um empréstimo é bem estudado e feito na forma correta, ele pode ajudar a empresa a crescer, negociar com investidores ou até pagar dívidas.

Para diminuir os riscos, nada de perder o foco nas organizações do fluxo de caixa.

Qual é a importância do Capital de Giro?

O capital é uma ação importante para que o gestor tenha noção do valor que seu negócio tem para pagar suas contas e obrigações.

Sendo assim, caso o capital de giro esteja baixo, o controle financeiro está correndo risco, já que não terá como lidar com despesas inesperadas ou crises.

Dessa maneira, não podemos negar que o capital de giro interfere diretamente na saúde financeira do seu estabelecimento.

Isso porque esse montante garante os pagamentos, tanto dos fornecedores, quanto dos salários da equipe ou despesas operacionais.