Fluxo de caixa: Como fazer?

Fluxo de caixa como fazer?

Como fazer o fluxo de caixa, nada mais é que anotar como movimentações de capital do seu empreendimento.

 

Ou seja, é uma das formas de organizar as finanças e identificar possíveis problemas e dificuldades da empresa.

 

Neste sentido, para entender o fluxo de caixa como fazer, será necessário anotar três informações:

 

- Saídas;

 

- Entradas;

 

- Resultados periódicos.

 

Esta é a base para fazer o FC, mas é claro que você pode fazer mais algumas coisas, como analisar esses dados.

 

É bom destacar que todos os tipos de negócios podem aderir a esta prática, não apenas grandes empresas.

 

Quer ajuda com o fluxo de caixa?

 

Os 3 passos de como fazer o fluxo de caixa

Antes de se preocupar com o fluxo de caixa , é essencial que conheça os três passos fundamentais para esta atividade.

 

Confira agora mais detalhes de como fazer corretamente o fluxo de caixa no seu negócio:

 

1. Escolha como entradas e categorias em categorias

Antes de qualquer coisa, lembre-se de que: como entradas e como são os itens principais de  fluxo de caixa.

 

Além disso, elas não são da mesma natureza ou querem dizer que não podem ser tratadas por iguais. É importante que separe como embaixadas.

 

As taxas

Se trata de todo o dinheiro que sai do estabelecimento, independente do motivo.

 

E Para Que funcione corretamente , essas quantidades devem Ser divididas em: fornecedores, despesas Operacionais e Outras despesas.

 

Como descontos são todo o dinheiro que sai , por qualquer motivo, da sua empresa. Elas devem Ser divididas essencialmente em très grupos:

 

- Fornecedores: valor gasto para pagar os fornecedores;

 

- Despesas operacionais: Gastos administrativos, como internet, salário, aluguel e afins;

 

- Outras despesas: valores que aparecem todo mês, investimentos como, por exemplo.

 

Uma outra dica sobre o fluxo de caixa como fazer é dividir ainda mais como suas economias.

 

Para fazer isso, você pode dividir uma categoria em gastos com gastos mínimos, vendas, contas, matéria prima, deslocamento, comissão de produtos e impostos , por exemplo.

 

Lembrando que os custos são variantes, conforme o tipo de negócio, então não tem como estimar o valor exato para verificar se está fazendo o  fluxo de caixa  corretamente.

 

É necessário entender a realidade da empresa e dividir a forma mais real possível.

As entradas

Como entradas de fluxo de caixa são todo o dinheiro que entra a partir de  pagamento, serviços, produtos, cotação  e outros.

 

Este valor pode variar muito conforme o período,  já que tudo depende da quantidade de vendas.

 

Por um número um pouco incidente, acaba sendo esquecido em alguns casos, gerando grandes erros no futuro .

 

2. Registre os resultados das entradas e downloads

Depois de classificar como entradas e entradas , chega a hora de registrar esses dados.

 

É recomendado que antes de passar para um plano de fluxo de caixa, até obter as correções necessárias, caso necessário.

 

O lançamento certo desses itens é muito importante para as  próximas apresentações , então se algo estiver errado, terá um impacto negativo.




3. Faça uma análise dos dados

O grande truque de como fazer o fluxo de caixa  se trata da maneira como você analisa as informações.

 

Reunimos apenas a primeira parte do processo, que também é fundamental.

 

Para entender melhor como ele funciona, é preciso  observar os seguintes itens:

Saldo final diário

O saldo final diário será o responsável por indicar quanto dinheiro você tem na caixa no final do dia.

 

Para descobrir o seu valor, basta pegar o saldo inicial , que veio no dia anterior ao trabalho e somá-lo ao valor das entradas e subtrair todas as vendas.

 

O resultado encontrado será equivalente ao saldo final diário . A partir disso, é possível notar uma variação de capital em caixa no período de um mês.

 

Lucro

Outro ponto de marcação sobre o fluxo de caixa como fazer  a identificação do lucro, final de contas, é o meio desta atividade que você consegue  identificar se não está azul.

 

Mas como fazer isso? A partir de uma breve análise. Veja o exemplo abaixo:

 

Imagine uma situação na qual você compra um fogão no valor de R$ 800,00 e ganha por R$ 950,00. O lucro foi de  R$ 150,00.

 

Mas, se R$ 50,00  foram gastos com frete do fogão, o seu lucro muda e passa apenas R$ 100,00.

 

Tudo isso significa que não  basta apenas subtrair o custo da matéria-prima do preço cobrado, já que existem outros valores dentro do processo.

 

Pense: para vender um produto, é necessário considerar o descolamento, fornecedores, vendedores e custos de produção.

 

E a única forma de cobrir tudo isso é a partir do lucro. Considere todos os gastos envolvidos  e diminua-os com o valor causado pelas vendas.

 

Neste conceito de lucro, ainda existem dois tipos: líquido e bruto.

 

- Lucro líquido:  é uma receita total do local, considerada tudo, inclusive os impostos;

 

- Lucro bruto:  não leva em consideração os custos fixos de produção, salário de funcionários e aluguel, por exemplo.


 


Demonstração de fluxo de caixa como fazer?

A última dica para um controle financeiro  impecável, é usar a  demonstração do fluxo de caixa , também conhecida pelo DFC.

 

Ela nada mais é do que um relatório que indica como receitas , despesas, lucros e prejuízos de uma empresa em um período determinado.

 

A DFC é uma peça fundamental do Regime de Caixa e pode ser inserida no relatório de  Balanço Patrimonial.

 

Para fazer uma demonstração do fluxo de caixa, é preciso organizar e categorizar como  despesas e receitas  no seguinte formato:

 

ATIVIDADES OPERACIONAIS

(+) RECEITAS

Venda de Produtos
Prestação de Serviços
Juros Recebidos
Doações Recebidas

 

(-) DESPESAS

Impostos
Aluguel
Folha Salarial
Fornecedores
Despesas de Escritório

 

INVESTIMENTOS

(+) RECEITAS
Venda de ativos

 

(-) DESPESAS
Compra de ativos

 

FINANCIAMENTOS
Captação de dívidas e empréstimos

 

(-) DESPESAS
Pagamento de dívidas e empréstimos

 

FLUXO DE CAIXA
(=) RESULTADO FINAL (LUCRO / PREJUÍZO)

 

Lembrando que este é apenas um exemplo, cada negócio pode, deve, montar o seu conforme achar melhor.

 

O importante é que todas essas informações sejam reunidas, de preferência, com o mínimo de erros possíveis.


 

O que é o Regime de Caixa? 

 

Regime de Caixa  é uma atividade que contabiliza  despesas e receitas  quando entra na caixa.

 

Ele é exibido apenas por não contabilizar nada na hora em que é  executado como compras  ou ofertas de  serviços.  

 

Com ela, serão considerados e tributados somente os valores recebidos e não os que são registrados na emissão da Nota Fiscal.

 

E o Balanço Patrimonial? 

Balanço Patrimonial ou BP é uma demonstração financeira de um empreendimento. 

 

Ele trata de um relatório que representa o resultado de movimentos econômicos de uma empresa após um certo período, que normalmente é de 1 ano. 

 

O BP representa investimentos, fontes de recursos e bens locais. Além disso, é uma análise mais clara da saúde financeira da empresa.

 

Mas é possível gerar um balanço patrimonial  se o fluxo de caixa estiver organizado. Ou seja, um depende do outro para uma visão coerente.